5 teses para a Igreja Metodista Unida

Translate Page
Pastor Stephen Mannion. Foto cortesia do autor. 
Pastor Stephen Mannion.
Foto cortesia do autor.

Pontos chave:

• Os problemas profundamente enraizados que assolam a denominação não serão resolvidos pela legislação, mas pelo arrependimento e um retorno à obediência radical às Escrituras, diz um pastor Metodista Unido.

•  Mannion está preocupado que mesmo em uma igreja pós-separação, ambas as facções irão repetir o mesmo ciclo se não houver uma reforma decisiva nessas cinco questões.


Em 1517 DC, Martinho Lutero escreveu 95 teses em resposta aos abusos na Igreja Católica. Como pastor Metodista Unido, estou a ver um fermento profundamente enraizado que continuará a afectar todas as partes se não for arrependido e imediatamente tratado, independentemente da forma que a nossa igreja assumir após a separação.

Escrevo essas cinco teses com o coração pesado e preocupado. Como um homem que se juntará à Igreja Metodista Global, ou qualquer expressão “tradicionalista” do Metodismo, estou preocupado que o mesmo ciclo se repita se não houver uma reforma decisiva nessas cinco questões. Esses são hábitos, mentalidades e padrões operacionais profundamente enraizados que se tornaram normas. Portanto, eles não serão resolvidos pela legislação, mas pelo arrependimento e um retorno à obediência radical às Escrituras.

Apocalipse 2:5 (ESV) declara: “Lembra-te, pois, de onde caíste; arrependa-se e faça as obras que você fez no início. Do contrário, irei até você e removerei o seu candelabro do lugar, a menos que você se arrependa”.

     1. Como denominação, nos afastamos de nossas raízes escriturísticas e Wesleyanas. É necessária apenas uma revisão superficial do Metodismo histórico para ver o quão longe nós vagamos. Não sou nenhum especialista em Wesley, mas sei o suficiente para saber que ele ficaria indignado - e não apenas com os “progressistas”, mas também com os joelhos fracos, a tolerância e o silêncio dos “tradicionalistas”. Somos apenas um fac-símile distorcido e manchado de sangue do que nossos antepassados fundaram. Devemos retornar à obediência radical à Palavra de Deus e retornar às nossas raízes históricas. (2 Timóteo 3: 16-17; Hebreus 4:12)

     2. Definimos a verdade por impulsos culturais, em vez das Sagradas Escrituras inspiradas por Deus. (2 Timóteo 3: 16-17; Salmo 119: 160; João 16:13; Mateus 7:24)

     3. O amor foi redefinido como “tolerar e aprovar aquilo que Deus não tolera ou aprova”, ou seja, o pecado e aqueles que o propagam de forma rebelde. Agora é aceitável propagar a mentira: “Se você discordar de minhas escolhas, você não me ama”. (João 14:15; 1 Coríntios 5)

     4. O Livro da Disciplina, agora completamente ignorado, não é bom para muito mais do que iniciar o fogo ou uma bela peça de estante. É letra morta, afetando apenas aqueles que optam por segui-la. Aqueles que escolhem viver em desobediência eclesiástica não apenas têm permissão para continuar em sua rebelião contra a igreja em geral, mas são recompensados com posições de autoridade. Portanto, somos uma denominação sem lei governada por caprichos, sentimentos e pontos de discussão de justiça social. Quando um corpo abandona seu padrão definidor, não há corpo. Quando a lei denominacional é opcional, não há lei ou denominação. (Mateus 12:25)

     5. A liderança permite que os falsos mestres continuem a afastar os leigos do pastor, e consideram fazer isso uma virtude porque estão sendo "tolerantes". Em suma, a verdade está sendo sacrificada no altar da unidade à custa de incontáveis almas cujo sangue estará em suas mãos (Ezequiel 33: 1-9; Tiago 3: 1; 1 Timóteo 3: 2-10). Tolerar os falsos mestres na Igreja não é uma virtude e é a antítese do ensino da Escritura e do Metodismo histórico. "Expulse o ímpio de seu meio." - 1 Coríntios 5:13 (NIV) (Apocalipse 2: 1-11; Atos 20: 29-31; Gálatas 5: 7)

Comentários

A Notícias MU publica vários comentários sobre questões na denominação. Os artigos de opinião refletem uma variedade de pontos de vista e são as opiniões dos redatores, não da equipe da Notícias MU.

Em Apocalipse 2, a igreja de Éfeso é elogiada por sua falta de tolerância com os falsos mestres. Eles são chamados a se arrepender de onde caíram, "ou então". O “ou então” é uma chamada para despertar sóbria que deve levar todos nós a avaliar cuidadosamente onde nos desviamos, OU ENTÃO “Eu irei até você e removerei o seu candelabro do lugar, a menos que você se arrependa”. (Vs 5)

A Igreja Metodista Unida, tanto progressistas quanto tradicionalistas, se afastou tanto de nossas raízes wesleyanas bíblicas que quase não são reconhecíveis. Colocamos a tolerância antes da verdade, as finanças antes do fervor pela Palavra de Deus e o número de membros antes da missão. Não somos mais seguidores dos ensinamentos de John Wesley. Devemos nos arrepender e retornar às nossas raízes bíblicas e metodistas históricas.

Vamos usar a parábola do Filho Pródigo como motivação para voltar ao nosso Salvador e à Sua Palavra. Se nos arrependermos como um corpo, ele é “fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos limpar de toda injustiça”. Como o pai da parábola, nosso Pai celestial está ansioso para perdoar e esquecer... mas devemos nos arrepender! Virem-se, metodistas! Virem-se e volte às suas raízes! Do contrário, “Eu irei até você e removerei o seu candelabro do lugar ...”.

*Mannion é pastor da Igreja Metodista Unida Faith em Lancaster, Nova York, e da Igreja Metodista Unida Emmanuel em Orchard Park, Nova York.

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina@umcom.org. Contato com a mídia de notícias: Tim Tanton ou Joey Butler em (615) 742-5470 ou newsdesk@umnews.org. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

Evangelismo
O Rev. Taurai Emmanuel Maforo. Foto de Mutsa Roy Maforo.

A igreja virtual é o novo paradigma do ministério

A mudança de reuniões cara a cara para uma “igreja sem paredes” era considerada impensável apenas alguns anos atrás, mas os fechamentos desencadeados pela pandemia COVID-19 aceleraram a prática do ministério online.
Evangelismo
O Rev. Thomas Kim. Foto de Kathleen Barry, Notícias MU.

Uma lamentação com esperança para o Afeganistão

Assistir às notícias da retirada dos Estados Unidos do Afeganistão lembra o reverendo Thomas Kim do tempo que passou com os missionários lá depois que seu cunhado foi morto em um bombardeio.
Preocupações Sociais
O Rev. Dr. William B. Lawrence. Foto de Todd W. Lawrence.

Lei sobre aborto do Texas ameaça ministério

No início de seu ministério, o Rev. Bill Lawrence serviu como conselheiro para mulheres grávidas que estavam considerando suas opções. De acordo com uma nova lei do Texas, esse papel pastoral pode levar a processos judiciais.