O jejum oferece testemunho de liberdade

Translate Page

Às vezes, a política e a fé colidem de maneiras que podem moldar as agendas nacionais. Uma oração, um jejum ou uma palavra falada com o coração tem o potencial de transformar - pelo menos essa é a esperança com o Jejum pela Liberdade em andamento em Washington, DC.

Se você quiser se envolver:

Para aqueles que desejam estar envolvidos neste testemunho, as comunidades religiosas e os indivíduos podem preencher uma variedade de funções, incluindo liderar uma oração noturna na igreja anfitriã, convidar oficiais eleitos para visitar os jejuadores e compartilhar cartões, oferecendo obras de arte ou apresentações musicais com os jejuadores, voluntariado local e muito mais. Veja as opções e inscreva sua congregação aqui. Também agradecemos suas ideias sobre como você / sua congregação pode se envolver. ASSINE AQUI.

Voluntários também estão sendo procurados para apoiar os jejuadores principais como parte da Equipe de cuidado dos jejuadores principais, oferecendo apoio não médico (por exemplo, emocional, espiritual) aos jejuadores. Inscreva-se para um turno aqui.

 Indivíduos e igrejas também podem:

  • Garanta seu apoio financeiro para ajudar a cobrir os custos associados à hospedagem do jejum durante 4 a 6 semanas (use esta página de doação do Fast for Freedom para fazer uma contribuição financeira.
  • Recrute trabalhadores essenciais imigrantes ou líderes religiosos proeminentes para participar como um núcleo de jejum pelo tempo que puderem, com um compromisso mínimo de pelo menos uma semana. Inscreva-os aqui.
  • Adicione seu endosso congregacional, organizacional ou denominacional do Jejum da Fé para Famílias aqui e envie seu logotipo para jfleming@faithinaction.org para que seja adicionado à página do Fast for Freedom.
  • Organize uma Ação de Solidariedade em sua comunidade com as autoridades eleitas locais e membros do Congresso para apoiar o apelo por um caminho para a cidadania de trabalhadores imigrantes indocumentados. ( Certifique-se de listar seu evento aqui)
  • Faça um culto de oração ou vigília para apoiar aqueles que estão jejuando em Washington e para orar por um caminho de cidadania para os trabalhadores imigrantes. ( Liste seu serviço de oração aqui )
  • Marque reuniões com seus membros do Congresso para defender um caminho para a cidadania para trabalhadores imigrantes ( liste sua reunião aqui )
  • Organize um jejum local de fé pela liberdade com líderes religiosos em sua própria comunidade. ( Compartilhe informações sobre o seu jejum coletivo aqui )
  • Convide membros individuais de sua comunidade religiosa para fazer seu próprio jejum de solidariedade em casa por um ou mais dias. ( Fasters individuais podem se inscrever aqui )

 

Emma Escobar orou pelas 11 pessoas que estavam sob o sol forte em 9 de junho, nas escadarias da Igreja Luterana da Reforma, a alguns quarteirões do Capitólio dos Estados Unidos. Eles eram 11 trabalhadores não documentados e essenciais, titulares de TPS e DACA e líderes religiosos de todo o condado. Ela pediu a Deus que lhes desse força e coragem. Ela orou para que pessoas de fé e líderes governamentais levassem a sério a história dos 11 - que representavam os 11 milhões de indocumentados nos Estados Unidos - e respondessem.

“Isso é importante”, disse Escobar, Coordenadora dos Ministérios Hispânicos e Latinos da Conferência de Baltimore-Washington. “Parte do nosso trabalho é amar o próximo. Estamos cumprindo nossa missão de fazer discípulos para a transformação do mundo. E é assim que transformamos o mundo. É como ficamos na linha de frente e praticamos o amor pelo próximo”.

O Fast for Freedom (Jejuar para a Liberdade) é parte de um esforço ecumênico da Congregation Action Network (Rede de Ação de Congregação) e Faith in Action (Fé em ação) para “iluminar a obrigação moral de nossa nação de incluir completa e finalmente nossos irmãos imigrantes como parte da família americana. Esses jejuadores e várias outras dezenas se reunirão em estágios por pelo menos três semanas para incentivar o Congresso a utilizar o pacote de empregos e infraestrutura e o processo de reconciliação de orçamento para codificar um caminho para a cidadania para 11 milhões de membros indocumentados da comunidade - muitos dos quais mantiveram nossas famílias e nossa economia funcionando como trabalhadores essenciais durante a pandemia ”, disse Rebecca Cole, diretora da Grass Roots Organizing (Organização de base) para a United Methodist General Board of Church and Society (Junta Geral Metodista Unida da Igreja e Sociedade).

Como Igreja Metodista Unida, “acreditamos que cada pessoa é feita à imagem de Deus e deve ser honrada e tratada com dignidade. Seus direitos civis e humanos devem ser defendidos em todos os pontos e agora nosso sistema de imigração nos Estados Unidos não faz isso”, disse Cole.

Parte do reconhecimento dessa dignidade é reconhecer o papel desproporcional que a comunidade latina desempenhou durante a pandemia COVID-19 quando serviram como trabalhadores essenciais e colocaram a si e suas famílias em perigo.

“Trabalhadores essenciais, destinatários do DACA, Dreamers e detentores de TPS enfrentaram os maiores riscos em meio à pandemia”, disse a bispa LaTrelle Easterling, líder episcopal da Conferência Baltimore-Washington. “Eles são parte de nossa única família de Deus. Esses amados filhos de Deus fornecem os bens básicos e serviços essenciais que nos ajudaram a superar essa época terrível. E, no entanto, os trabalhadores "essenciais" imigrantes foram tratados como dispensáveis, como exploráveis: seu trabalho foi extraído enquanto sua humanidade foi negada. Eles foram excluídos da cidadania plena e dos frutos plenos de suas contribuições para nossa vida econômica e comunitária.”

O Rev. Neal Christie, Ministro Executivo de Envolvimento Conectado do BWC, fez comentários sobre a fala da Bispa Easterling durante o comício.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

“Aqueles que buscam status legal hoje estão à mercê de quem os representa e patrocina seus processos judiciais. Se essas pessoas forem enganadas, aproveitadas ou desencaminhadas, serão marcadas por essa conduta e sua própria segurança estará em risco”, disse Christie. “Essas práticas manipuladoras e enganosas estão abaixo da dignidade de nossa nação. O governo federal não está isento de agir moralmente e consistentemente.”

Nos Princípios Sociais, os Metodistas Unidos declaram: “Qualquer legislação para reformar o sistema de imigração dos Estados Unidos deve afirmar o valor, a dignidade e o valor e direitos inerentes dos migrantes, e deve incluir uma oportunidade de cidadania para todos os migrantes sem documentos.”

Com as mudanças políticas no Congresso e na presidência provocadas pelas eleições de 2020, algumas pessoas pensaram que a luta pela reforma da imigração poderia diminuir. Em vez disso, Escobar e Cole disseram, este é um momento ainda mais crítico para a comunidade Latinx ser representada e para as pessoas de fé exortarem o presidente e o Congresso a agirem.

“Já se passaram décadas desde que o Congresso aprovou uma legislação de imigração que proporcionaria às pessoas sem documentos um caminho para a cidadania”, disse Cole. “Acreditamos que este é um momento crítico para envolver os membros do Congresso e do governo e realmente exigir que este seja o momento. A comunidade de imigrantes e a comunidade sem documentos têm esperado muito tempo.”

 “É hora de sermos cientes e conscientes”, disse a bispa Easterling.

Escobar concordou. “É fundamental e importante que apareçamos e levantemos nossas vozes”, disse ela. “Cada ação que tomamos visa construir uma oportunidade para que os imigrantes se sintam bem-vindos, contem suas histórias e também digam 'ei, estou aqui e sou importante neste país'. Nós construímos algo quando estamos juntos. Vamos levantar nossas vozes e continuar a caminhar com nossos irmãos e irmãs na comunidade indocumentada.”

 

*Melissa Lauber, Conferência de Baltimore-Washington da Igreja Metodista Unida

**Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina@umcom.org. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

 

Preocupações Sociais
Kelani, de oito meses, cuja mãe fugiu da violência de gangues em Honduras, toma banho em um balde de plástico em um acampamento improvisado de migrantes na passagem de fronteira de El Chaparral em Tijuana, México. Milhares de meninas e meninos nascem no caminho que os migrantes fazem em busca de esperança e de futuro. Foto de Mike DuBose, MU News.

A esperança e o desespero do advento nas fronteiras

A gravidez e o parto são condições que caracterizam as épocas do Advento e do Natal. Mas é também a realidade de milhares de imigrantes que fazem nascer o seu sonho de esperança nas estradas e nas passagens de fronteira.
Preocupações Sociais
O Rev. Joel Hortiales (à esquerda) ora com Carlos Ivan Baran Hidalgo; sua esposa, Danelly Mazariegos Morales; e sua filha de 3 anos, Scarlett Juliette, no abrigo Camino de Salvación em Tijuana, México. A família fugiu da violência na Guatemala e espera entrar com um pedido de asilo nos EUA. Hortiales é um missionário Metodista Unido e atua como diretor de ministérios hispânicos / latinos e questões de fronteira para a Conferência California-Pacific.

"Eu era um estranho"

Em setembro, uma equipe do Notícias MU acompanhou os líderes de La Igreja Metodista Unida e Igreja Metodista de México A.R. visitar comunidades migrantes ao longo da fronteira EUA-México para mostrar, através das lentes do fotojornalista Mike DuBose, os esforços que as igrejas fazem para ministrar às pessoas necessitadas que estão esperando por uma solução para sua situação de imigração.
Human Rights
Um aviador dos EUA com a Força Tarefa Conjunta de Resposta à Crise, abraça uma mãe depois de ajudar a reunir sua família no Aeroporto Internacional Hamid Karzai em Cabul, Afeganistão, em 20 de agosto. Igrejas Metodistas Unidas, conferências, agências e organizações sem fins lucrativos parceiras estão trabalhando para ajudar os refugiados a terem um bom começo nos EUA. Foto por Cpl. Davis Harris, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.

Metodistas Unidos contribuem com reassentamento afegão

Igrejas locais, conferências, agências e organizações sem fins lucrativos parceiras trabalham para ajudar os refugiados a ter um bom começo nos Estados Unidos.