Dois jovens, mesmo Baptismo e Confirmação: uma história de fé semelhante

Translate Page
Dois jovens do distrito de Homoine na província de Inhambane, tem uma história de fé e missão semelhante. Com a diferença etária de um ano, Audêncio Fortunato Neves e Pedro Francisco Marime encontram-se servindo a Deus na Conferência Anual do Sudeste de Moçambique, como resposta ao chamado de Deus para a missão, ainda em tenra idade.

"Sou natural de Homoine, na comunidade de Licote", explicou Audiencio Fortunato Neves, minutos depois de ser ordenado Presbítero Itinerante na Sessão da Conferência Anual do Sudeste de Moçambique, realizada na capela de Matingane, em Massinga, de 5 a 8 de dezembro de 2019, que era guiada pelo tema: Esforcemo-nos no ensino por palavras e obras para a salvação do mundo.

"A minha caminhada de fé começou quando eu tinha 17 anos, quando recebi o sacramento do baptismo, e um ano mais tarde fui confirmado como membro efectivo desta Igreja", continuou Reverendo Neves. 

“Passados 3 anos após a confirmação de estado de membro, ingressei em 2011 no Seminário Teológico de Cambine para fazer estudos teologicos’’. Depois da sua ordenação a diácono em 2015, o Reverendo Neves recebeu nomeação para pastorear no Cargo Pastoral JossefaNhatitima, em Matacalane, no distrito de Morrumbene. 

“O meu trabalho pastoral desde que fui ordenado, tem sido uma experiência agradável, apesar das muitas dificuldades que enfrento, e que são resultado do contexto rural’’, partilhou Neves. “Para além de JossefaNhatitima, onde servi por três anos, este ano estou servindo a comunidade de Fagine, em Morrungulo, no Distrito Eclesiástico de Massinga’’.

Falando sobre a sua recente ordenação à ordem de Presbíteros, Neves afirmou estar  muito satisfeito. "Hoje, eu e meu amigo da juventude, fé e missão, estamos fazendo história".

Neves falava assim após a sua ordenação e pelo facto de ter sido ordenado Presbítero com o amigo de infância. Os dois abraçaram a carreira pastoral quase ao mesmo tempo, e ainda muito jovens.

“Eu e o pastor Pedro Marrime, fomos baptizados no mesmo dia, confirmados no mesmo dia, somos oriundos da mesma paróquia, mesmo distrito eclesiástico, frequentamos o mesmo seminário e hoje, aqui e agora, acabamos de ser consagrados presbíteros no mesmo dia. Isso, é uma grande história de vida, fé, e missão’’, concluiu o Rev. Neves.
Revma. Bispa Joaquina Nhanala, apoiada por superintendentes e outros clérigos, durante a ordenação de presbíteros na Conferência anual do Sudente. Foto de Joao Sambo.
Revma. Bispa Joaquina Nhanala, apoiada por superintendentes e outros clérigos, durante a ordenação de presbíteros na Conferência anual do Sudente. Foto de Joao Sambo.
Não muito diferente do testemunho de Audêncio Fortunato Neves, é a história do Pastor Pedro Francisco Marime. 

Marime contou que nasceu em 10 de outubro de 1990 em Chicuque, Município da Maxixe na província de Inhambane. “Sou filho de camponeses, naturais de Homoine. Através dos meus pais, ingressei na Igreja Metodista Unida, no Cargo Pastoral de Malonguele, onde recebi o sacramento do baptismo e em 2007, e fui confirmado como membro da IMUM", explicou.

Muitos pastores da Metodista Unida em Moçambique, recebem o seu chamado durante o período em que estão muito engajados no ministério dos Jovens. Segundo o Departamento dos Recursos Humanos da IMUM – Maputo, esse facto, constata-se através de um grande número destes com idade média de 45 anos.

“Depois que me foi garantida a bolsa de estudos para a formação teológica, ingressei no Seminário Teológico de Cambine, onde vim graduar em dezembro de 2014’’, explicou Marime. “A minha primeira nomeação, depois do comissionamento, foi para o Cargo Pastoral de Macunhe, no Distrito Eclesiástico de Vilankulo”. No ano seguinte, em 2015, ele foi ordenado diácono e nomeado em um novo Cargo Pastoral de Aeroporto, nos arredores da Vila de Vilankulo.

A Vila de Vilankulo, é uma vila turística com lindas praias, e encontra-se a nordeste da Província de Inhambane. Questionado sobre a sua ordenação a presbítero itinerante, Marime expressou estar "muito feliz".

“Hoje, meu amigo de infância, o Pastor Audêncio F. Neves, e eu, fazemos a nossa história”, disse Marime. 

“Somos oriundos do mesmo distrito, baptizados e confirmados no mesmo dia, frequentamos o mesmo seminário e num mesmo dia como hoje somos ordenados presbíteros. Isso é uma história marcante”. Os amigos foram ordenados no terceiro dia da Conferência, em 7 de dezembro de 2019.
 
Questionado sobre as muitas coincidências da sua caminhada na fé e missão pastoral, Marime respondeu que em um total de 7 pastores ordenados naquele dia, apenas ele e o pastor Neves é que foram ordenados presbíteros. "Eu não olho isso como coincidência, mas sim como uma bênção que historicamente ficará marcada nas nossas vidas”, esclareceu.

Falando sobre a sua carreira pastoral, Marime explicou: “As dificuldades são várias no campo pastoral, desde as financeiras, materiais, a pobreza, até as doenças no seio das comunidades e membros que sirvo, mas sou mais do que vencedor através de Cristo que me fortalece”.

Marime, está actualmente a servir a comunidade de Pembe, no distrito Eclesiástico de Inhambane Oeste, com um pouco mais de 150 membros que basicamente vivem a base na agricultura.

Marime e Neves, falavam para os nossos microfones, minutos depois de serem ordenados presbíteros itinerantes, durante a sessão da Conferência Anual de Moçambique Sudeste, evento que teve lugar no Cargo Pastoral de Matingane, no Município de Massinga.

*Sambo é o correspondente lusófono em África das Notícias Metodista Unida.

Contacto com a imprensa: Vicki Brown, editora de notícias, newsdesk@umcom.org ou 615-742-5469. Para ler mais notícias da Metodista Unida, inscreva-se nos resumos diários ou semanais gratuitos.
Igreja Local
Arlindo Jossias Sambo (pregando para a comunidade de Ninga) e Celine Miguel, a tradutora. Foto de Michaque Ali.

Moçambique Norte: novas comunidades Metodistas Unidas são plantadas

Os grandes desafios que enfrentam, relacionados com os desastres naturais, conflitos armados, a pobreza absoluta e ultimamente a pandemia da COVID-19, não tem conseguido apagar o fogo do evangelho.
Missão
A Revda. Ruth Marsh (à direita) conforta Angi Rogers, uma hóspede do abrigo diurno na Igreja Metodista Unida Trinity em Idaho Falls, Idaho. Rogers não estava se sentindo bem e Marsh a acomodou em uma sala de aula da escola dominical para descansar um pouco. “Todos aqui cuidam de mim e uns dos outros”, disse Rogers. Foto de Mike DuBose, Notícias MU.

Igrejas veem muitas necessidades neste Advento

Muitas congregações e organizações sem fins lucrativos nos EUA estão intensificando seus esforços para ajudar as pessoas de baixa renda afetadas pela inflação e pela escassez de moradias populares.
Igreja Local
Um estudo encomendado pela Comissão Metodista Unida sobre o Estatuto e Papel da Mulher mostra que embora algum progresso tenha sido feito para tornar os salários do clero equivalentes para homens e mulheres, ainda há um longo caminho a percorrer. Foto de Kathleen Barry, Comunicações Metodistas Unidas.

Mulheres clérigas ainda recebem menores pagamentos

Um novo estudo encomendado pela Comissão Metodista Unida sobre o Estatuto e Papel da Mulher segue-se a um estudo semelhante em 2017 e mostra que embora algum progresso tenha sido feito, as mulheres no clero ainda são mal pagas em comparação com os seus homólogos masculinos.