WCA planeja nova denominação

Translate Page

A Wesleyan Covenant Association (Associação do Pacto Wesleyano) reuniu-se presencialmente e online de 30 de abril a 1 de maio, dando continuidade ao planejamento de uma nova denominação metodista tradicionalista e aprovando uma resolução criticando três bispos Metodistas Unidos por recentes decisões de tomada de nomeação.

Muitos no quinto Encontro Global da WCA estavam claramente entusiasmados com a perspectiva de deixar a grande tenda da Igreja Metodista Unida por uma denominação que eles dizem que irá enfatizar o evangelismo, autoridade das escrituras, práticas metodistas históricas e uma compreensão tradicional do casamento entre um homem e uma mulher.

Mas a reunião, realizada na Igreja Metodista Unida Frazer Memorial em Montgomery, também teve um ar de frustração. COVID-19 adiou para 2022 a Conferência Geral Metodista Unida em que uma separação proposta será considerada.

“Às vezes fico desanimado”, disse o reverendo Keith Boyette, presidente da WCA, durante seu discurso de 1º de maio. “Mas aprendi que Deus faz um trabalho incrível enquanto esperamos.”

A WCA foi formada em 2016 e, embora fortemente alinhada com os grupos tradicionalistas mais antigos da Igreja Metodista Unida, como a Good News e o Movimento Confessing, tornou-se a incubadora de uma nova denominação planejada recentemente que recebeu o nome de Igreja Metodista Global.

Boyette se juntou a um grupo diversificado de líderes religiosos na negociação do Protocolo de Reconciliação e Graça por Separação, que visa lidar com décadas de divisão na Igreja Metodista Unida sobre como aceitar a inclusão de homossexuais. As igrejas tradicionalistas poderiam, de acordo com a proposta, sair com suas propriedades e formar sua própria denominação, recebendo US $ 25 milhões para começar.

Mas o protocolo foi revelado em janeiro de 2020, e a Conferência Geral foi remarcada duas vezes desde então devido ao COVID-19, com as datas atuais definidas para acontecer de 29 de agosto a 6 de setembro de 2022, em Minneapolis.

The Revs. Carolyn Moore and Keith Boyette oversee discussion at the Global Legislative Assembly of the Wesleyan Covenant Association. Photo by Sam Hodges, UM News.

A Revda. Carolyn Moore e Keith Boyette supervisionam as discussões na Assembleia Legislativa Global da Wesleyan Covenant Association. Foto de Sam Hodges, Notícias MU.

“Estamos todos frustrados com o atraso do protocolo”, disse o Rev. Richard Thompson, participando da reunião da WCA da Primeira Igreja Metodista Unida em Bakersfield, Califórnia.

Em meio a números de casos COVID-19 nitidamente mais baixos nos EUA, o WCA escolheu uma abordagem híbrida para sua última reunião. Em 30 de abril, cerca de 230 delegados da Assembleia Legislativa Global da WCA se reuniram em um salão na igreja de Montgomery, com outros se juntando online. O uso da máscara foi estritamente observado para aqueles na igreja.

No dia seguinte, o santuário de 2.100 lugares do Frazer Memorial estava pelo menos dois terços lotado para o Encontro Global oficial, uma série de discursos de um dia inteiro intercalados com o canto de canções de louvor e hinos. A maioria usava máscaras, mas muitos não.

A Assembleia Legislativa Global da WCA aprovou resoluções endossando o protocolo e a formação da Igreja Metodista Global. Os principais líderes da WCA já haviam sinalizado o apoio da organização a ambos.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

¡FIQUE INFORMADO!

Com apenas dois votos contrários, os delegados aprovaram uma resolução que “condena as ações” da Bispa da Conferência do Norte da Geórgia, Sue Haupert-Johnson, do Bispo da Conferência da Grande Nova Jersey, John Schol, e do Bispo da Conferência Califórnia-Pacífico Grant Hagiya, em decisões recentes de nomeação de pastores tradicionalistas.

A resolução diz que as decisões são "provocativas e perturbadoras, e têm como objetivo punir pastores e igrejas que são teologicamente conservadores e expressaram seu desejo de se alinhar com a Igreja Metodista Global uma vez que o protocolo seja adotado e a Igreja Metodista Global seja legalmente formada."

Haupert-Johnson optou por não nomear novamente o Rev. Jody Ray para a Igreja Metodista Unida Mt. Bethel em Marietta, Geórgia, a maior da Conferência do Norte da Geórgia. Ray, desde então, entregou suas credenciais Metodistas Unidas, e Mt. Bethel anunciou a sua intenção de se separar da Igreja Metodista Unida.

Os líderes da igreja também entraram com uma queixa contra Haupert-Johnson e um superintendente distrital pelo que eles dizem ser falha em consultar sobre a nomeação, conforme exigido pelo Livro de Disciplina, o livro de políticas da denominação.

Haupert-Johnson ofereceu um relato totalmente diferente daquele de Ray e dos líderes da igreja.

A resolução critica Schol por não renomear o Rev. James Lee para a Igreja Metodista Unida Bethany, uma grande igreja coreana em Wayne. NJ Schol, em um comunicado, disse que não poderia discutir detalhes, mas caracterizou a interpretação dos eventos pela WCA e outros grupos tradicionalistas como "absolutamente falsos".

Quanto a Hagiya, a resolução culpou sua decisão de mover três pastores coreanos de suas igrejas na Conferência Califórnia-Pacífico.

Hagiya disse que ele também é impedido pela política de denominação de discutir os detalhes de uma decisão de nomeação particular.

“No entanto, não marcamos nenhuma indicação de punição ou retribuição e responsabilizamos apenas o bem-estar da igreja, da comunidade e do pastor por isso”, disse ele.

Ray estava na reunião da WCA, assim como o Rev. Jae Duk Lew, um dos três pastores da Conferência Califórnia-Pacífico. Em entrevistas separadas, ambos disseram que sentiam que seus bispos não tinham sido justos.

“Não houve nenhuma consulta. Havia apenas uma notificação”, disse Lew sobre seu caso.

The Rev. Jae Duk Lew. Photo by Sam Hodges, UM News.

O Rev. Jae Duk Lew. Foto de Sam Hodges, Notícias MU.

Alguns delegados da Assembleia Legislativa Global queriam suavizar as “condenações” na resolução. Mas suas emendas falharam depois que Ted Smith III, um leigo da Conferência Califórnia-Pacífico e membro do Conselho da WCA, descreveu as ações de Hagiya como um “soco no estômago” para os tradicionalistas.

A maior parte do tempo da Assembleia Legislativa Global foi para considerar e aprovar os relatórios da força-tarefa que representam recomendações para a planejada Igreja Metodista Global.

Houve uma discussão sobre ligar a membresia da igreja à participação em “pequenos grupos de discipulado responsáveis”, um retorno às primeiras práticas metodistas de realizar reuniões de grupos e reuniões de classe.

O Rev. David Watson, professor e administrador do United Theological Seminary (Seminário Teológico Unido), disse que a nova denominação deveria se basear nas primeiras práticas metodistas.

“Eu não quero ser um MINO - Methodist in name only (Metodista apenas no nome)”, disse Watson. “O perigo que enfrenta a Igreja Metodista Global não é que nos tornemos progressistas. ... O perigo é cairmos em uma espécie de evangelicalismo americano geral.”

Mas Eddie Nabors, um leigo de Batesville, Mississippi, questionou a ideia de que as primeiras práticas metodistas deviam ser implantadas. Ele defendeu a escola dominical, uma abordagem mais recente da formação cristã.

“Sou professor de escola dominical há 35 anos e fazemos isso direito”, disse Nabors.

O Rev. Bob Kaylor, da força-tarefa de discipulado da WCA, tentou tranquilizar Nabors que a escola dominical não seria eliminada pela Igreja Metodista Global.

“Se você gosta de seu plano, pode mantê-lo”, disse ele, arrancando risos por ecoar a retórica de debates anteriores sobre o seguro saúde nos Estados Unidos.

A Revda. Lisa Beavers, presente da Conferência de Oklahoma, disse que o trabalho em Montgomery foi útil em geral na definição de como será a nova denominação.

“A visão está ficando mais clara sobre o que Deus está nos chamando para fazer”, disse ela.

Global Gathering trouxe o tema “Go Global!” e os palestrantes recomendaram uma ênfase da Grande Comissão na evangelização em todo o mundo. As mensagens gravadas vieram do Bispo Metodista Unido Eduard Khegay, da Área Episcopal da Eurásia, e do Rev. Jonathan Razon, das Filipinas.

Falando pessoalmente, o Rev. Timothy Tennent, presidente do Seminário Teológico Asbury, pediu uma meta de iniciar 10.000 igrejas e converter um milhão de pessoas à fé cristã.

Tennent também exortou os tradicionalistas a permanecerem pacíficos e amorosos no meio do conflito denominacional. 

“Você não pode construir uma nova igreja sobre um alicerce de raiva, não importa o quão bem colocada possa ser às vezes”, disse ele.

The Rev. Timothy Tennent, president of Asbury Theological Seminary, addresses the Wesleyan Covenant Association’s fifth Global Gathering. Photo by Sam Hodges, UM News.

O Rev. Timothy Tennent, presidente do Seminário Teológico Asbury, discursa no quinto Encontro Global da Wesleyan Covenant Association. Foto de Sam Hodges, Notícias MU.

Mas o Rev. Eric Huffman tocou um ponto delicado ao abordar a visão dos tradicionalistas de que eles são injustamente visados como causadores de danos, apoiando as atuais proibições da Metodista Unida em casamentos entre pessoas do mesmo sexo e ordenação de clérigos homossexuais “praticantes declarados”.

A Igreja Metodista Global deve dar as boas-vindas às pessoas LGBTQ, ao mesmo tempo em que mantém uma compreensão tradicional da ética sexual baseada na Bíblia, afirmou Huffman.

“Infinitamente mais danos são causados por líderes da igreja covardes e sentimentais que deturpam a verdade porque gostam mais de ser amados pelas pessoas do que de pessoas que amam a Jesus”, disse ele, recebendo aplausos entusiasmados.

 

* Hodges é redator do Notícias Metodista Unida em Dallas. Contate-o em 615-742-5470 ou newsdesk@umcom.org. Para ler mais notícias da Metodista Unida, assine os resumos quinzenais gratuitos.

** Sara de Paula é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina@umcom.org

Conselho de Bispos
Durante a sua reunião online de 2 a 5 de Novembro, o Conselho dos Bispos aprovou “Uma Narrativa para a Continuação da Igreja Metodista Unida” delineando uma visão para a igreja onde todos terão um lar. Gráfico de Laurens Glass, Noticias da MU.

Bispos oferecem estrutura para igreja inclusive

À medida que a denominação se aproxima de alguma forma da separação, os bispos publicam uma narrativa para descrever suas esperanças para a continuação da Igreja Metodista Unida.
Conselho de Bispos
Dados os atrasos que a pandemia trouxe e na realização da Conferência Geral, mais de 250 Metodistas Unidos assinaram uma carta, para solicitar ao Conselho de Bispos para permitir a partida das igrejas que assim o decidirem, preservadas Suas propriedades. Foto cortesia da Conferência Anual de Nova Jersey.

Grupo busca a graça dos bispos nas saídas da igreja

À medida que o Conselho dos Bispos começa a sua reunião online de outono, um grupo de Metodistas Unidos está a exortar os líderes a permitirem que as igrejas que o desejem façam com propriedade.
Área Geral da Igreja
Com a Igreja Metodista Unida enfrentando a proposta de uma divisão, vários grupos têm eventos alinhados para informar os membros da igreja sobre as suas opções. Os grupos incluem a Mesa Conexional, a Associação do Pacto Wesleyano e a Rede de Ministérios de Reconciliação Alabama-West Florida. Foto da estrada por Larisa Koshkina, com as palavras “O Futuro” escritas. Cortesia de Pixbay; gráfico por Laurens Glass, Notícias MU.

As conversas sobre divisão da igreja seguem caminhos separados Por Heather Hahn*

Com a Igreja Metodista Unida enfrentando uma divisão proposta, vários grupos planejaram eventos para ajudar os paroquianos a discernir onde se poderiam sentir melhor.